"Para além de uma abordagem refrescante a cada temática, convivemos com professores tecnicamente muito bons, com paixão pelos conteúdos e experiência prática da realidade empresarial."

12 julho 2023

João Crispim Ponte é alumni da Pós-Graduação em Branding, atualmente adjunto da secretaria Regional do Turismo, Mobilidade e Infraestruturas (Governo dos Açores).

#IamIADE

Qual foi o seu maior desafio profissional até agora?

Até ao momento o maior desafio profissional que já tive é, sem dúvida, o cargo que desempenho atualmente. Em primeiro lugar, há uma responsabilidade grande na representação dos Açores e na defesa da causa pública e do bem comum da nossa Região. Em segundo lugar, é um departamento do Governo Regional com uma grande amplitude de competências, abrangendo o turismo, os transportes aéreos, marítimos e terrestres, as obras públicas e infraestruturas e, ainda, a energia. São muitas temáticas diferentes, mas que se vão interligando, e para as quais é preciso estar permanentemente atento, a estudar e a aprender, tal é o dinamismo e a competitividade que têm.

Que caraterísticas é que um *Adjunto de uma Secretária Regional* deve ter para ser um bom profissional?

Para além da óbvia lealdade, fiabilidade e idoneidade, bem como do conhecimento técnico das áreas de intervenção, é necessário desenvolver algumas características relacionadas com a análise do contexto e a capacidade de antecipar problemas e idealizar soluções para esses problemas. Isso envolve criatividade, planeamento estratégico, espírito crítico, dinamismo e proatividade, por exemplo. Por outro lado, é também fundamental o estímulo à capacidade de relacionamento interpessoal, que inclui a criação de empatia, a motivação, a resolução de conflitos, a negociação, a intermediação e a comunicação oral e escrita.

#creatingcreators: de que forma é que o IADE contribuiu para se tornar o criativo/criador que é hoje?

Aprender no IADE foi uma das mais interessantes e estimulantes experiências formativas que já tive oportunidade de frequentar. Houve todo um contexto muito entusiasmante, desde os professores, aos colegas e aos oradores convidados. Para além de uma abordagem refrescante a cada temática, que instigou a desconstrução de conceitos e ideias preconcebidas, convivemos com professores tecnicamente muito bons, com paixão pelos conteúdos e com experiência prática da realidade empresarial. Isso é fundamental para garantir pragmatismo e sentido prático e consequente à aplicação do conhecimento, bem como para apresentar exemplos concretos e inspiradores que sirvam de guias para o futuro. Todos os docentes mantiveram sempre uma atitude aberta e de apoio, o que foi altamente motivador, mesmo perante a exigência avaliativa. Convivi com colegas de vários backgrounds profissionais e todo o País e até mesmo de outros países. Isso foi uma experiência incrível, porque permitiu ter uma perceção de diferentes visões e diferentes perspetivas profissionais. Aprendi imenso com isso e com os contactos que estabelecemos. Por fim, ter a oportunidade de ouvir e interagir com profissionais de altíssimo nível e participar em palestras e webinars que esbatem a distância entre o meio académico e a realidade empresarial foi também muito inspirador. Aliás, ter uma empresa que “apadrinhou” e acompanhou todo o nosso processo de aprendizagem, colocando desafios específicos e transpostos da sua realidade concorrencial, foi algo verdadeiramente interessante e que representou um estímulo extra.

Qual o projeto que mais gostou de desenvolver no IADE?

Frequentei a pós-graduação em Branding no IADE, que gostei imenso. O projeto final do curso foi, sem dúvida, aquele que, no fim, me deu mais satisfação. Foi o culminar de um processo intenso e exigente, mas que permitiu encaixar todas as peças e dar coerência – com princípio, meio e fim – à articulação entre várias peças e várias temáticas técnicas. Perceber o resultado dessa conjugação final e a forma como se conseguiu transpor do processo de aprendizagem para o momento da execução toda essa linha estruturante foi absolutamente recompensador.

Quais as principais skills que o curso de *Pós-Graduação em Branding* lhe deu?

Há várias hard e soft skills que foram muito bem trabalhadas e que me deixam bastante seguro e tranquilo para exercer funções área do marketing, estratégia e gestão. Porém, há três “clusters” de competências que destaco: 1) o estímulo à capacidade criativa e a(s) forma(s) como podemos ir alimentando esse estímulo – e é curioso que alimentado essa criatividade da forma certa criamos uma “fome criativa” cada vez maior; 2) a capacidade de análise crítica e de relacionamento de conceitos, através da desconstrução sistemática de ideias preconcebidas, com uma grande atenção ao contexto, às tendências e, sobretudo, às pessoas e ao seu comportamento; 3) uma nova visão e compreensão sobre o digital e da ligação íntima ao comportamento humano e ao que isso implica para o futuro.

Qual o melhor momento que guarda do seu percurso pelo IADE?

É difícil escolher! Foram vários bons momentos. O início foi muito engraçado, porque era uma experiência nova no online e em plena pandemia. Depois surgiram debates e conversas animadas com vários professores, que até se prolongaram para lá das horas de lecionação. Houve webinars fantásticos e apresentações de trabalhos de grupo de elevadíssima qualidade. Houve momentos de grande solidariedade entre alunos e grande partilha de conhecimento e informação. “O momento” foi o curso todo!

Que conselho daria aos estudantes que estão, neste momento, a tentar vingar na área do respetivo curso?

Nunca parar de aprender, de forma humilde. Estimular o pensamento crítico e o desafio do status quo. Procurar sistematicamente fontes de inspiração e de desenvolvimento da criatividade. “Transpirar” paixão em cada momento, em cada projeto. Não ter medo de fazer e arriscar.

Sabe mais sobre a Pós-Graduação em Branding aqui.

Design thinking em marketing: como transformar ideias em estratégias inovadoras
18 junho 2024
Ler mais
Será o TikTok fundamental numa estratégia de marketing?
6 junho 2024
Ler mais

Share