BLOG

#CreatingCreators  

21/11/2022

"Agora, estamos preparados para integrar qualquer empresa e responder aos seus desafios com soluções criativas e inovadoras. O nosso mindset foi programado para fazer diferente, fazer melhor"


Bárbara Marques é aluna do 2º ano de Mestrado em Marketing e Inovação e partilhou connosco que o seu principal objetivo é tornar-se Brand Manager de uma grande marca.

 

Bárbara Marques - Mestrado Marketing e Inovação

 

Porquê o IADE?
Venho de gestão, uma área que não conhece muita criatividade e, na altura, nem eu sabia que era isso que procurava. Não sabia que procurava espaço para fazer coisas novas, ou fazer as que existem de formas diferentes. Percebi isso quando entrei no mercado de trabalho e conheci o dia a dia de uma área de marketing. Então agora que sabia o que queria, quis tornar-me na melhor profissional possível da área e especializar-me. Para isso, procurei o melhor mestrado que me desse formação teórica e prática em marketing e que me abrisse portas para o futuro, com tudo de novo que surge neste mundo. No IADE, um nome que já me teriam ecoado ao ouvido como marca top-of-mind quando partilhei esta minha vontade, encontrei tudo o que precisava, com a garantia de que me estava a formar numa faculdade altamente qualificada, de renome e que certamente iria garantir aquele tom especial no meu CV. Encontrei o Mestrado de Marketing e Inovação - opções não faltavam, mas dúvidas não existiam.

Em que momento é que percebeste que criar faz parte de ti?
Diria que ainda sem perceber que queria fazer da criatividade o ponto central da minha carreira, criar começou a manifestar-se na insatisfação constante com os meus projetos de vida principais - faculdade e desporto. Procurava novos estímulos sem saber bem quais, como quando nos apetece comer alguma coisa mas nada do que está no frigorifico satisfaz, ainda que esteja cheio. Comecei a praticar novos desportos, a aprender a piano sozinha só com o YouTube, aprendi a resolver o cubo mágico, novas táticas de xadrez, técnicas de desenho, escrevi histórias, poemas e canções, comprei jogos atrás de jogos, aprendi a editar fotografia e a mexer com as principais ferramentas do photoshop. Comecei a jogar online e a produzir vídeos para um canal de YouTube, também editados por mim, no After Effects. Fui criativa na procura, mas ainda assim não encontrei nada no frigorífico - faltava “inventar” qualquer coisa. Era esse o ingrediente que faltava. Então criei uma marca de roupa, fiz o site, juntei uma equipa, encontrei fornecedores e inventei um conceito. Foi nesta experiência que percebi que criar faz, não só parte de mim, mas do meu futuro - ainda não sabia, mas isto já era Branding.


Qual dos projetos que realizaste no IADE te marcou mais?
Uma grande mais valia deste mestrado no IADE é de facto a componente prática que nos permite trabalhar diretamente com empresas em casos reais. O projeto em parceria com a Maternidade do Porto, que nos apresentava o desafio de humanizar esta maternidade pública através do Marketing, mostrou que o marketing é mais do que comunicar - é fazer a diferença. Ficou claro que é uma ferramenta poderosa que é capaz de mudar vidas, negócios e formas de agir. Fomos capazes de entregar soluções inovadoras que certamente irão mudar uma das fases mais importantes das vidas de tantas famílias.


Ser criativo é…
Não comer uma salada de fruta como sobremesa num restaurante
É não responder “querias já não queres?” quando alguém diz “queria água”
É não cantar no duche, não escrever um poema num papel, não vestir em monocromático, não ter um carro preto.
Ser criativo é pedir aquela opção do menu que não sabes o que é
É dizer algo inusitado quando tudo se alinha para uma resposta pré-feita
É cantar quando vais a andar na rua, escrever um verso num azulejo e deixar para alguém ler, é vestires-te às ricas e ter um carro aos quadrados.

Existem as pessoas que evitam pisar as linhas do chão na rua, que disfarçam quando têm que voltar atrás por se terem esquecido de algo em casa, que começam a ler a ementa a partir do meio, que fazem caretas quando vão sozinhos no elevador. Ser criativo é escolher pisar a linha, voltar para trás de repente, começar a ler a ementa pelo fim e fazer caretas quando estão todos a ver.

Ser criativo é conhecer, saber, e fazer diferente. É ser arrojado, perder filtros e inseguranças. É sair do óbvio, do corriqueiro, da zona de conforto e arriscar em algo novo que pode ser um disparate ou absolutamente genial. É entregar respostas que só depois de ouvidas são óbvias. É a resposta fácil e simples que ninguém tinha dado antes.


Conta-nos uma experiência da tua vida académica que te tenha marcado especialmente.
Não fiz as minhas licenciaturas no IADE mas foi aqui, no meu mestrado, que descobri o que é aquela coisa de “amigos da faculdade”. Encontrei aqui um grupo incrível de pessoas talentosas e criativas que me fizeram dar o máximo ao longo de cada semestre e que me ajudaram a atingir excelentes resultados. Mais que colegas de curso, amigos que vou levar!

Academicamente, a melhor experiência que tive aqui foi a criação de um produto como projeto para uma cadeira, que foi apresentado a um júri num formato “Shark Tank”.
Criámos não só o produto, como toda a marca e tivemos a oportunidade de apresentar o projeto a professores e profissionais de marketing, com os quais aprendemos o que teríamos de fazer para ganhar num Shark Tank a sério com o produto e marca que criámos em 4 meses. Hoje, ponderamos efetivamente criar uma empresa e colocar o produto no mercado.


Como imaginas o teu futuro?
No IADE aprofundei os meus conhecimentos em marketing e descobri o branding. Hoje, a minha meta está traçada: “Tornar-me Brand Manager de uma grande marca”.
Não vou mais longe do que isto nos meus planos. Não penso no meu futuro a longo prazo. Tudo muda com demasiada frequência para estruturar planos tão definidos. Um plano para o futuro pode ser o maior inimigo daquilo que é “viver”. Viver é hoje, não ontem nem amanhã, é agora. E agora eu sei o que tenho e o que quero, mas amanhã o mundo pode mudar e eu não quero perder nada por estar presa a um plano que fiz ontem num mundo que já não existe.


Descreve-te em 3 palavras.
Analítica, dinâmica e criativa. Mas nem tudo é bom! Distraída, teimosa e perfeccionista (no sentido chato da palavra).


Destaca as grandes mais valias do curso que estás a realizar no IADE e como achas que poderá influenciar o teu percurso profissional?
Como referi, o Mestrado tem a componente teórica que é indispensável para o grau académico em questão mas, ainda assim, temos imenso espaço para fazer as coisas acontecerem em projetos práticos que nos desafiam a diversos níveis e sentidos. Agora, estamos preparados para integrar qualquer empresa e responder aos seus desafios com soluções criativas e inovadoras. O nosso mindset foi programado para isso mesmo - fazer diferente, fazer melhor.


Partilha connosco 3 desejos da tua Bucket List.
1. Tornar-me Brand Manager de uma grande marca;
2. Fazer parte de uma equipa criativa de desenvolvimento de video-jogos;
3. Ter o meu próprio negócio, a minha própria marca

 

Pode obter mais informações sobre o Mestrado em Marketing e Inovação aqui.

VOLTAR >>